Domingo
16 de Dezembro de 2018 - 
"O fim do Direito é a paz; o meio de atingi-lo, a luta".

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,91 3,91
EURO 4,41 4,41

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Fortaleza, CE

Máx
33ºC
Min
26ºC
Pancadas de Chuva

Segunda-feira - Fortal...

Máx
33ºC
Min
26ºC
Pancadas de Chuva

Seminário na Esmec avalia os três anos de vigência do novo CPC

A Escola Superior da Magistratura do Ceará (Esmec) está realizando, nestas segunda e terça-feira (03 e 04/12), o seminário “O novo CPC: uma avaliação dos três anos de vigência”, em parceria com a Associação Norte-Nordeste de Professores de Processo (ANNEP). No primeiro dia de evento, idealizado pelo desembargador Francisco de Assis Filgueira Mendes, foram proferidas duas palestras. A primeira pelo doutor em Direito pela PUC-SP, Leonardo Carneiro da Cunha, que abordou “Algumas questões ainda não observadas no novo CPC”. Conforme o palestrante, muito se debateu sobre os grandes temas encontrados no novo Código de Processo Civil, mas outros dispositivos menos relevantes foram esquecidos. “O primeiro deles é o compartilhamento de competências, em que é possível juízes compartilharem competências para resolver o mesmo caso. É uma novidade que ainda não foi muito observada, mas já foi usada no caso em Mariana (MG), quando 870 ações que tramitavam em várias comarcas tiveram julgamento conjunto, dando eficiência a esses casos”, explicou. Leonardo da Cunha destacou que o Código trouxe ainda uma litigância mais responsável ao tratar de forma diferenciada os honorários, melhorar o tratamento da gratuidade da justiça e ao exigir uma atividade mais cooperativa. “Há uma série de exemplos que ainda não tiveram atenção e que, se forem observados, nós temos a chance de uma justiça melhor e um procedimento mais eficiente”, disse. O segundo palestrante, Vinícius Silva Lemos, abordou o “Incidente de Assunção de Competência”. De acordo com o doutorando em Direito Processual, “o intuito do incidente é formar um precedente para vincular os juízos, então, quanto mais se utiliza e de forma correta, mais segurança jurídica para todos, para o próprio tribunal, profissionais do Direito e principalmente para o jurisdicionado, que vai saber mais ou menos o posicionamento dos tribunais sobre o tema e se aquela ação cabe ou não.” Nesta terça-feira (04), a partir das 14h, outras duas palestras serão abordadas no seminário: “Aspectos práticos da utilização da ata notarial”, com o desembargador Paulo Airton Albuquerque, do Tribunal de Justiça do Ceará, e “Negócios processuais na execução”, com o doutor pela UFBA Pedro Henrique Nogueira.
03/12/2018 (00:00)

Escritório Emanuel Vieira

+55 (85) 988378187+55 (85) 998677928
Visitas no site:  5052
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.